CiViA lança publicação que apresenta experiências dos seus primeiros anos de atividade

Publicação destaca o trabalho da Iniciativa Empresarial do GVces Ciclo de Vida Aplicado em 2015 e 2016, projeto pioneiro na promoção do pensamento de ciclo de vida nas empresas brasileiras 18/07/2017
COMPARTILHE

A nova publicação da CiViA apresenta a técnica do ACV assim como experiências reais de empresas participantes da iniciativa entre 2015 e 2016 (Divulgação GVces)

Por Oscar Freitas (GVces)

A produção de um produto pode gerar diversos impactos ao meio ambiente, mas esse produto tem uma vida que vai muito além dos muros de uma empresa. São diversas etapas que podem produzir impactos, como a extração da matéria prima, passando por distribuição, uso, assim como seu descarte. Uma empresa que queira saber os impactos que seu produto gera deve extrapolar as suas operações, considerando toda a cadeia de valor. Isso pode ser alcançado através da abordagem de ciclo de vida.

A Avaliação de Ciclo de Vida (ACV) tem ganhado cada vez mais importância no contexto das empresas com a ideia da sustentabilidade cada vez mais arraigada às estratégias empresariais e com a percepção de que essa ferramenta é essencial para o entendimento profundo de todos os processos que envolvem seus bens e serviços.

Nesse contexto, o GVces, em dezembro de 2014, lançou a iniciativa Ciclo de Vida Aplicado (CiViA) com o objetivo de aproximar o conhecimento acadêmico com a realidade das empresas desenvolvendo conjuntamente conhecimentos para a aplicação do pensamento de ciclo de vida e transformar práticas fragmentadas em processos de gestão sistêmicos. Esses anos de atividades foram compilados na publicação Experiências e reflexões sobre a gestão do ciclo de vida de produtos nas empresas brasileiras, que foi lançada no evento que aconteceu do dia 27 de junho. A publicação apresenta a técnica do ACV assim como experiências reais de empresas participantes do projeto, conectando a ACV com temas correlatos como compras sustentáveis, gestão da cadeia de valor e rotulagem ambiental.

“A ferramenta em si é só um meio. A gente quer chegar num momento onde a gestão dos produtos baseada no ciclo de vida seja uma realidade dentro das organizações. E eu fico muito feliz em afirmar que, hoje, já tem várias empresas que tem métodos, estão aplicando a ACV e estão indo, no segundo semestre, apresentar trabalhos em congresso internacional contando sua experiência”, afirma Beatriz Kiss, gestora da CiViA.

Entre os anos de 2015 e 2017 , foram 90 pessoas capacitadas em métodos de pegada de carbono e hídrica no âmbito da iniciativa. As 13 empresas participantes do começo passaram a ser 30 que desenvolveram 20 projetos em pegada de carbono e hídrica.

“Eu me lembro quando, há cinco anos, a gente falava sobre a possibilidade de, a partir de toda cultura construída em conjunto entre o GVces e as empresas que fazem parte das nossas iniciativas, usar essa vasta experiência para avançar nos estudos ligados a produtos e serviços. Ter essa publicação sendo lançada hoje representa um sonho sendo realizado”, afirma Paulo Branco, vice coordenador do GVces.

O evento contou também com a presença de Sonia Chapman que trouxe a experiência da Rede Empresarial Brasileira de Avaliação do Ciclo de Vida. A Rede ACV é uma iniciativa de empresas e instituições que tem o objetivo de debater e promover a prática da ACV no meio empresarial e na sociedade, da qual a CiViA faz parte.

Neste ano, as atividades da CiViA seguem com a avaliação da pegada de carbono e da pegada hídrica dos produtos, ampliando o acesso das empresas às categorias de impacto abordadas na ACV. O planejamento é que a partir do ano que vem o escopo de trabalho se amplie para que as companhias sigam evoluindo na aplicação da ACV na gestão empresarial.