GVces na COP 23

Saiba mais sobre a Conferência do Clima de Bonn, a COP 23, e a participação do GVces neste importante encontro internacional pelo enfrentamento da mudança do clima 03/11/2017
COMPARTILHE

Presidida por Fiji, a COP 23 acontecerá na cidade de Bonn, na Alemanha, sede da UNFCCC (crédito: UN Climate Change/Flickr - CC BY-NC-SA 2.0)

Entre os dias 06 e 17 de novembro, é realizada em Bonn, na Alemanha, a 23ª Conferência das Partes (COP 23) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC). Nesse importante encontro, representantes de mais de 190 nações, além de organizações da sociedade civil, iniciativa privada e academia, discutirirão os próximos passos no esforço global para reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GEE) nas próximas décadas, de maneira a conter o aumento da temperatura média da Terra neste século entre 1,5 grau e 2 graus Celsius com relação aos níveis pré-industriais.

Mais uma vez, o Centro de Estudos em Sustentabilidade da FGV EAESP (GVces) estará presente na COP, participando de discussões junto a atores governamentais, empresariais e da sociedade civil sobre temas importantes da agenda climática internacional e nacional, como agricultura de baixo carbono, instrumentos de precificação de emissões e adaptação à mudança do clima.

Confira abaixo um panorama geral da Conferência e saiba mais sobre nossa participação na COP 23.

A Conferência do Clima de Bonn

Dois anos após a assinatura do Acordo de Paris, a Conferência de Bonn tem como principal desafio consolidar o caminho para a implementação dos instrumentos e dos objetivos de redução de emissões definidos em 2015 por 196 países. 

Neste esforço, o principal objetivo da COP 23 é concluir o desenho de um guia de implementação do Acordo de Paris, de maneira que ele possa ser finalizado na próxima Conferência do Clima, a ser realizada no ano que vem em Katowice, na Polônia. Este documento será uma referência importante para tirar do papel instrumentos importantes do Acordo, como a revisão das contribuições nacionalmente definidas (NDC, sigla em inglês), que fundamentam os objetivos de redução das Partes a partir de 2020.

Outro objetivo da Presidência da COP 23 - que será exercida pelo governo de Fiji, uma pequena nação insular no Pacífico - é incentivar o desenvolvimento da Agenda pela Ação Climática Global por parte de governos, empresas e cidadãos em todo o mundo. Para tanto, um foco importante desta Conferência será a promoção de diálogos entre representantes de governos e de observadores não governamentais, como ONGs e iniciativa privada, além de facilitar a interação entre diferentes redes de atores envolvidas no esforço global contra a mudança do clima.

Em sintonia com esse esforço de diálogo, o governo de Fiji também vem buscando desenvolver novas formas de diálogo e participação dentro do processo decisório da COP 23, inspiradas na "Talanoa" - uma experiência de compartilhamento de histórias, ideias e capacidades, de maneira a construir empatia e entendimento entre as partes. A proposta da Presidência da COP 23 é, assim, criar um processo mais orgânico de interação e decisão entre as Partes, visando facilitar não apenas as conversas para a Conferência deste ano, mas também para as da COP 24.

No entanto, a atenção dos negociadores em Bonn estará dividida entre itens mais práticos do processo de implementação do Acordo de Paris e os desafios potenciais que a saída pretendida dos Estados Unidos, anunciada em junho passado pelo presidente Donald Trump, poderá acarretar no esforço global contra a mudança do clima. O anúncio jogou incerteza sobre as possibilidades de sucesso do Acordo e pressionou outros atores importantes, como União Europeia e China, a reforçar seus compromissos multilaterais na luta contra a mudança do clima.

O GVces na COP 23

As Conferências do Clima são momentos importantes para a troca de experiências, informações e ideias entre os mais diversos atores sobre os desafios e as possibilidades na luta contra a mudança do clima e seus impactos negativos sobre a humanidade e o meio ambiente. Além das negociações oficiais, as COP também recebem eventos paralelos que trazem outros atores além dos diplomatas e chefes de Estado e de governo, como cientistas, empresários, lideranças políticas, movimentos sociais, entre outros.

Como em anos anteriores, o GVces estará presente na COP 23 em Bonn, participando de eventos paralelos nos espaços oficiais da Conferência, além de apresentações e palestras que serão realizadas em diferentes pontos da antiga capital administrativa da Alemanha Ocidental. 

No Espaço Brasil, organizado pela Agência Nacional de Águas (ANA), Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), Ministério do Meio Ambiente e Ministério das Relações Exteriores na zona Bonn da COP 23, pesquisadores do GVces participarão de discussões sobre agricultura de baixo carbono, instrumentos econômicos para redução de emissões e adaptação à mudança do clima.

No dia 13/11, a partir das 9h30, o pesquisador do GVces Alexandre Gross compartilhará os resultados do estudo sobre medidas adaptativas no semiárido brasileiro, desenvolvido para a Agência Nacional de Águas (ANA), durante evento sobre segurança hídrica e adaptação à mudança do clima. 

No dia 15/11, às 12h30, a coordenadora do programa Finanças Sustentáveis do GVces, Annelise Vendramini, participará do evento "Avanços e parcerias necessários para a implementação da agricultura sustentável e de baixo carbono (ABC) no Brasil", para trazer a experiência do Centro no acompanhamento da aplicação dos recursos do Programa ABC junto ao Observatório ABC desde 2013.

No mesmo dia, a partir das 9h30, Alexandre Gross será um dos expositores no evento "Estratégias empresariais de adaptação à mudança do clima: desenvolvimento de oportunidades de negócio". A agenda de adaptação tem sido uma das principais de trabalho do GVces nos últimos anos, com a realização de estudos sobre custo-benefício de medidas de adaptação, instrumentos para apoiar estratégias de adaptação em empresas e na sociedade civil, além da facilitação no processo de estruturação da AdaptaClima - Plataforma de Conhecimento em Adaptação.

Dia 17/11, às 11h00Annelise Vendramini participará do painel "Economia Florestal: necessidades de financiamento e oportunidades para o Brasil". Esse tema vem sendo trabalhado em estudos em parceria com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura.

Já no Indigenous People Pavillion, no dia 13, às 17h, Alexandre Gross representará o GVces no evento "Carbon pricing instruments and Brazilian NDC: dialogues between public and private agendas", promovido pela Iniciativa Empresarial em Clima (IEC) junto com a Tufts University. Entre as iniciativas de precificação de carbono que serão destacadas durante o evento, está a simulação do Sistema de Comércio de Emissões (SCE), desenvolvida pelo GVces para engajar empresas e prepará-las para uma possível implementação de um mercado de carbono no Brasil.

Acompanhe os destaques de nossa participação na COP 23 nas redes sociais do GVces ao longo das próximas duas semanas. Confira também a cobertura especial da Revista Página22 sobre a Conferência, direto de Bonn.