Kick off: Alunos do FIS 11 apresentam o desafio do Projeto Referência

Em evento aberto na FGV, a décima primeira turma da disciplina FIS dialogou com o público ideias para repensar modelos de educação 25/09/2015
COMPARTILHE

Por Milene Fukuda (GVces)

Todos foram convocados: alunos, ex-alunos, professores, empreendedores e gestores compareceram no dia 16 de setembro, ao Salão Nobre da FGV, para conversar sobre modelos de educação e compartilhar suas experiências de ensino e aprendizagem. Logo no início do evento, os presentes foram convidados a sentarem enfileirados e a permanecerem em silêncio no auditório. Este formato dado ao ambiente foi proposto para  representar a disposição de uma sala de aula tradicional.

“O modelo de educação das universidades permaneceu praticamente inalterado ao longo dos séculos. O conteúdo é transmitido no estilo via de mão única, onde a relação professor-aluno e teoria-prática é praticamente inexistente”, disse o fiser Pedro Mantovani durante a abertura do kick off. Mantovani completou sua fala com o seguinte exemplo: “Se um médico formado no início da década de 1900 entra numa sala de cirurgia hoje, o ambiente é muito diferente. Agora se um professor dessa mesma época entra numa sala de aula hoje, pode constatar que o ambiente quase não mudou”.

É verdade que agora o quadro negro é digital e temos projetores e outros aparatos que antigamente não existiam em sala, no entanto, o papel da escola parece que continuou sendo o de transmissora de disciplinas e conhecimentos pré-formatados. Fato é que isso caminha na contramão de um futuro complexo que emerge das relações de uma sociedade tecnológica, conectada e aparentemente esvaziada de lideranças inovadoras e disruptivas em seu mercado de trabalho.

Tendo em vista a necessidade (e urgência) de repensarmos a educação e nosso processo de aprendizado, o desafio lançado aos alunos do FIS 11 no início do semestre foi: Promover experiências que mobilizem, convidem e inspirem os envolvidos com educação superior a explorar a aplicação de novos modelos, princípios e perspectivas de formação para escolas de administração.

No evento de kick off, depois de contextualizar a disciplina optativa e o desafio lançado pelo Projeto Referência, foi a vez da fiser Laura Candelaria promover uma sensibilização com a intenção de chamar pela presença de corpo e espírito do público participante. Isso porque em seguida, os convidados foram colocados em roda e separados em diferentes grupos para dialogarem e pensarem sobre métodos inovadores de ensino e aprendizado. Ao final do evento, alguns participantes compartilharam um pouco do que foi a conversa. 

Acredito que educação é troca e a escola deveria ser esse espaço onde os papéis de educador e educando se misturam. Gisela Chulman, ex-fiser (FIS 7, turma Se7eMeio)

Conhecimento não se compra ou se vende, se troca. E quando troca ninguém fica com menos. Wilson Nobre, professor da FGV-EAESP

Próximos passos – Em outubro os fisers saem novamente a campo para a viagem de macroimersão e a primeira parada será no Festival Internacional da Cooperação, o FICOO, que acontecerá em Atibaia de 09 a 12 de outubro. De lá, seguirão Brasil afora investigando outras iniciativas e conhecendo pessoas que atuam na área da educação. Logo após o retorno do campo, cheios de inspiração, os alunos colocarão a mão na massa para prototipação do projeto , que terá sua entrega final no dia 01 de dezembro de 2015.