Oficina avança na discussão sobre investimento social privado territorial em ID Local

No 2º encontro sobre ISP territorial, a equipe do GVces e as empresas participantes deram os primeiros passos na construção de diretrizes para orientar a ação corporativa no tema 20/06/2017
COMPARTILHE

Anna Peliano (Comunitas) apresenta resultados de pesquisa sobre ISP no Brasil durante a 2ª oficina do ciclo 2017 de ID Local

Por Bruno Toledo (GVces)

Nas últimas décadas, muitas empresas brasileiras reforçaram sua atuação em temas de interesse público a partir do chamado Investimento Social Privado (ISP) - o repasse voluntário de recursos privados de forma monitorada para projetos sociais, ambientais e culturais, realizado através de doações diretas ou do trabalho de institutos corporativos.

Este tipo de investimento social tem sido importante ferramenta para a atuação pública de empresas no contexto de seus relacionamentos com comunidades no entorno, sendo assim parte integrante de iniciativas voltadas para promoção do desenvolvimento local. No entanto, a diversidade de conceitos e práticas associadas a ISP e a falta de orientações gerais extralegais sobre o tema implicam em desafios específicos aos investidores sociais, tanto do ponto de vista da gestão dos projetos, da origem e destinação dos recursos, como da governança entre investidor, empresa mantenedora e o território em questão.

Esses desafios inspiraram a Iniciativa Desenvolvimento Local e Grandes Empreendimentos (ID Local) a trabalhar no tema do ISP territorial em seu ciclo 2017. O objetivo de ID Local é contribuir para a qualificação do planejamento e da gestão do ISP realizado principalmente em localidades com atuação das empresas mantenedoras, a partir de reflexões sobre algumas questões contemporâneas, a exemplo do alinhamento entre ISP e o negócio da empresa, a diferença entre aplicações sociais voluntárias e obrigatórias, licença social para operação, e dependências e impactos potenciais que a saída da empresa do território e o fim do investimento social podem acarretar a estas comunidades.

A proposta de ID Local é construir, junto com suas empresas membros, um conjunto de diretrizes para gestão de ISP territorial que apoie os gestores no planejamento, implementação e gestão do investimento social territorial, além da estratégia de saída e avaliação da iniciativa social. 

No dia 18 de maio, ID Local realizou sua 2ª oficina, reunindo representantes das empresas membros para definir o escopo do trabalho da Iniciativa em 2017, refinar o entendimento sobre o tema e iniciar efetivamente a construção das diretrizes para gestão de investimento social privado.

A oficina também contou com a participação de Anna Peliano, coordenadora da pesquisa Benchmarking do Investimento Social Corporativo (BISC), da Comunitas. Anna trouxe alguns insights sobre a edição da pesquisa de 2016, realizada junto a 325 organizações sobre suas iniciativas de investimento social privado. Além de analisar a evolução do ISP nos últimos anos, a pesquisa destacou o peso dos investimentos sociais no lucro das empresas, a participação de incentivos fiscais no financiamento deste investimento, o perfil das instituições parceiras nos projetos sociais, e tendências gerais observadas neste campo para os próximos anos.

"A maior parte das empresas aspira por mudanças na condução dos investimentos sociais para adaptar-se à conjuntura econômica, às novas exigências do mundo dos negócios, às oportunidades abertas pelas novas tecnologias e às pressões da sociedade", explica Anna Peliano. "As lideranças cobram, sobretudo, a profissionalização da área social e a inovação das metodologias de atuação, com o objetivo de gerar transformações mais significativas na qualidade de vida das comunidades, promover maior aproximação com a sociedade e alinhar os projetos sociais aos negócios".

Próximos passos - Os próximos encontros da iniciativa ID Local serão nos dias 29 de junho e 8 de agosto, momentos em que gradativamente serão debatidas as questões contemporâneas do ISP e os desafios à efetividade desse tipo de investimento a elas atrelados no âmbito territorial, e refletidas no processo de construção das diretrizes.

Clique aqui e saiba mais sobre as atividades do Ciclo 2017 de ID Local.

Fotos: Oscar Freitas Neto/GVces